Gestão de Fretes: Quanto as empresas ganham (ou deixam de ganhar) com isso

Quanto representa 0,5% para você? Depende, não é mesmo?  Mas, vamos às contas…

Supondo que uma indústria fature R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) por mês e desembolse R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) mensais com a contratação de serviços de transporte. Em linhas gerais, podemos dizer que seu custo de frete como percentual das vendas é de 4% (80.000,00 / 2.000.000,00 x 100).

Se este embarcador reduzir 0,5% deste indicador terá uma economia de R$ 10.000,00 por mês ou R$ 120.000,00 ao longo de um ano. Ou seja, mantendo o mesmo faturamento e com um índice de 3,5%, sua conta frete mensal ficaria na casa dos R$ 70.000,00.

Como referência, com R$ 120.000,00 é possível adquirir:

04 veículos nacionais populares novos; ou

45 computadores processador Intel Core I3 – 2.4 GHz – HD de 1TB (novos); ou

07 transpaleteiras elétricas novas com capacidade para 1.800kg; ou

01 empilhadeira elétrica retrátil com capacidade de carga de 2.000 kg e elevação de até 12,0 metros (nova); ou

01 caminhão 0 Km, com capacidade para peso bruto total de 8.150 kg; ou

Contratar um profissional dedicado à logística de transporte, que além de gerar toda esta economia poderá promover resultados ainda mais expressivos para a empresa e seus clientes por meio de ferramentas de gestão e estruturação da área.

Outro ponto fundamental a ser considerado está nas atividades instaladas na logística de transporte que, muitas vezes, simplesmente são negligenciadas pelos embarcadores. Neste caso, os reflexos são sentidos não apenas internamente, mas na qualidade do serviço entregue aos clientes. Quer um exemplo?

Você já parou para pensar o quanto pode custar para a empresa uma decisão errada ao contratar uma transportadora? Aqui, cabem algumas reflexões:

  1. Qual é o custo de uma entrega não realizada?
  2. Quanto uma má prestação de serviço pode representar no meu faturamento e qual o impacto na imagem da empresa?
  3. Um cliente descontente voltará a comprar meu produto?
  4. Quanto um atraso de entrega pode comprometer a programação de pedidos do meu cliente e, consequentemente, do meu fluxo de vendas?
  5. Minha carga, independentemente do valor agregado, pode estar disposta à vulnerabilidade de determinado transportador?

Neste momento, volto à pergunta: quanto representa 0,5% para você?

No transporte, a redução de custos e o nível de serviço precisam caminhar lado a lado. A análise de variáveis é indispensável para que a tomada de decisão seja precisa. Este é mais um desafio para o qual o profissional de logística deve estar preparado.

Quer conhecer mais sobre este e outros desafios da logística de transporte?  Então se inscreva para receber os conteúdos do blog em primeira mão.

Um abraço!

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade é graduado em Administração de Empresas, especialista em Gestão Estratégica Empresarial e especialista em Logística e Distribuição. Possui experiência profissional na área logística de transportes, armazenagem e gestão de frota.

Website: http://www.logisticanapratica.com.br

2 Comentários

  1. Maria Emília de Araújo Duarte

    Bom dia!
    Gostei muito do site, precisamos trocar informações!

    Atn,
    Maria Emília

    • Olá Maria Emília!

      Que bom que gostou do nosso conteúdo.

      Vamos conversando…

      Abraço!

      Claudionei de Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *