A logística empresarial e seus efeitos na organização

Compreender a logística como parte essencial do negócio é fundamental para que as empresas otimizem seus processos de produção e distribuição e, por consequência, se mantenham competitivas no mercado.

As atividades presentes no sistema logístico das organizações devem manter seu fluxo de materiais e informações alinhados, desde a entrada do pedido até a entrega ao cliente final. Para ilustrar, operações como Gestão de Compras, Gestão de Estoques e Transporte precisam manter-se sincronizadas, visto que o resultado produzido por qualquer um desses processos causa efeito direto sobre todos os demais. Por isso, seria precipitado atribuir ao setor de Expedição, por exemplo, o atraso no envio de um pedido, assim como não é possível afirmar de forma prévia que a ruptura ou excesso de estoque é de responsabilidade exclusiva da área de Compras.

A relação existente entre a logística e os demais setores internos é decisiva para a empresa e, portanto, tais atividades não podem ser dissociadas. A consistência desta integração em relação à quantidade e qualidade de informações e recursos é o que irá determinar o nível de eficiência produtiva e a capacidade de atender com efetividade às necessidades dos clientes.

O conceito de integração se estende à cadeia de abastecimento como um todo. O Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos (Supply Chain Management) consiste em uma visão mais ampla, abrangendo todos os componentes externos que compõem a rede de produção e atuam direta ou indiretamente no processo, desde fornecedores, fábricas, centros de distribuição e transportadores.

Os atores envolvidos na cadeia de suprimentos variam a cada operação, mas, assim como ocorre internamente, a administração conjunta é considerada fator crítico de sucesso, visto que uma ação mal coordenada provoca efeito cascata negativo em todos os membros da rede, tais como desabastecimento, gargalo, parada em linha de produção, dentre outros impactos.

Para minimizar riscos como esses é importante não apenas medir o desempenho de fornecedores e parceiros, mas também os processos internos da empresa. Adotar indicadores de performance que evidenciem desvios no procedimento padrão de operação pode evitar perdas à companhia, além de identificar fatores que venham a prejudicar o próximo setor ou estágio produtivo.

A tecnologia é outra aliada neste quesito. Investir em mecanismos de automação e sistemas que ofereçam rapidez e exatidão ao fluxo de bens e informações, garante acuracidade e representa vantagem competitiva frente à concorrência.

O fato é que uma visão limitada sobre logística causa uma série de riscos para a organização, inclusive sua descontinuidade. Empresários e gestores jamais devem pensar a logística como algo isolado da atividade principal da companhia.

Para saber mais sobre os processos logísticos no ambiente empresarial, em especial as operações de transporte, cadastre-se em nossa Newsletter e receba notificações sobre novas publicações.

Um abraço,

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade é graduado em Administração de Empresas, especialista em Gestão Estratégica Empresarial e especialista em Logística e Distribuição. Possui experiência profissional na área logística de transportes, armazenagem e gestão de frota.

Website: http://www.logisticanapratica.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *