Qual o melhor modelo para Gestão de Fretes: estrutura interna ou terceirização de processos?

As despesas com transporte de cargas no Brasil representam uma importante parcela dos custos totais das empresas, podendo alcançar dois terços de tudo que desembolsam em sua operação logística. Logo, gerenciar de modo efetivo esta conta deve ser uma prioridade, visto que grandes companhias ultrapassam todo mês a casa dos milhões de reais em pagamentos de fretes.

Nesse contexto, não há outro caminho que não a gestão profissional da área de Transporte, e esta pode ser implementada através de estrutura interna ou por meio da contratação de uma empresa especializada (outsourcing/terceirização).

Na prática, normalmente o fluxo de processos e informações relativos à logística de distribuição é administrado internamente – embora que, em muitos casos, não da forma mais adequada.

Mas a dinâmica do setor tem levado os embarcadores a repensarem seu atual modelo de gestão.

Isso porque, quando falamos em eficiência no transporte de cargas, devemos considerar uma série de requisitos que, cada vez mais, exige investimento por parte das empresas, dentre eles:

  • Automatização de processos;
  • Tecnologia e sistemas de gestão;
  • Mão de obra qualificada e constantemente atualizada;
  • Foco na resolução (e antecipação) de eventos não programados;
  • Diminuição do tempo de entrega, atendendo características da operação e clientes;
  • Estratégias de distribuição e redução de custos sem prejudicar a qualidade do serviço.

Obviamente, atender a esses critérios e particularidades do mercado torna-se um desafio para os embarcadores, pois mesmo que a logística não represente sua atividade principal, reflete em (quase) todas as áreas do negócio.

O fato é que ter um departamento interno composto por PESSOAS, PROCESSOS e TECNOLOGIA capaz de oferecer respostas rápidas e entregar resultados de excelência requer disponibilidade constante de recursos voltados à manutenção desses três pilares no mais alto nível.

E na terceirização de processos, como funciona?

No outsourcing, o embarcador contrata os serviços de uma empresa especializada para executar tarefas de uma atividade meio – neste caso, os controles ligados à Gestão de Fretes.

Na prática, o prestador operacionaliza processos como auditoria de cobranças e gerenciamento de entregas, por exemplo, e disponibiliza as informações tratadas (para que o embarcador tome as ações necessárias) ou a demanda já concluída, a depender do escopo definido e do grau de interação entre os integrantes da cadeia.

Quais os benefícios da terceirização de Gestão de Fretes? 

Dentre as vantagens do modelo terceirizado está a expertise dos profissionais, que normalmente são especialistas e conhecem cada detalhe do mercado. Igualmente importante, são as soluções tecnológicas aplicadas, desenvolvidas especificamente para a logística e que abrangem todas as particularidades do setor, assegurando resultados confiáveis e alinhados às melhores práticas. Ou seja, entre outros ganhos, ao terceirizar o serviço o embarcador terá:

  1. Rapidez e eficiência no fluxo de informações;
  2. Custos com retrabalhos e funções operacionais eliminados;
  3. Equipe interna de logística restrita e com atuação mais estratégica;
  4. Amplo controle sob os aspectos de custos de transporte e nível de serviço logístico;
  5. Resultados consolidados, utilizados como subsídios essenciais para tomadas de decisão;
  6. Economia de tempo, estrutura e recursos, tais como tecnologia e mão de obra (sistemas TMS, contratação de pessoal, salários, encargos, treinamentos, etc.).

Além dos pontos citados, a consistência nos processos logísticos vitais para a empresa permite que a mesma mantenha foco no core business e com isso aumente sua produtividade e receita.

Vale ressaltar que, assim como ocorre em qualquer parceria, para ter sucesso na terceirização é importante que o embarcador conheça seu potencial prestador: referências, clientes, estrutura, conhecimento de negócio, tecnologia e métodos aplicados. O maior risco envolvido neste caso são problemas causados pela falta de know-how, atraso nos prazos e demais situações pontuais provocadas pela baixa qualidade do serviço.

Todavia, o outsourcing se mostra uma excelente estratégia para companhias que compreendem o impacto da logística na imagem da marca e no desempenho do negócio como um todo. De modo geral, esses embarcadores vêem na terceirização a oportunidade de otimizar ainda mais seus recursos de transporte e se destacar em um mercado complexo e competitivo.

E para você, qual a prática mais adequada na Gestão de Fretes? Compartilhe sua opinião nos comentários.

Um abraço!

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade

Claudionei de Andrade - Instrutor na LNP Cursos Gerenciais. Graduado em Administração de Empresas, especialista em Gestão Estratégica Empresarial e especialista (MBA) em Logística e Distribuição. Possui experiência profissional na área logística de transportes, armazenagem e gestão de frota.

Website: http://www.logisticanapratica.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *